fbpx

Como escolher seu aspersor considerando estes 4 fatores importantes

Aspersor para irrigação

Como escolher o aspersor para seu sistema de irrigação? Existem vários fatores a serem considerados para acertar na escolha do mecanismo. É importante a atenção do produtor rural neste ponto, porque a escolha do aspersor acaba influenciando várias outras características do sistema de irrigação.

Por exemplo, a extensão do sistema, o espaçamento entre as tubulações e, consequentemente, a potência do motor que bombeia água. Tudo isso interfere também nos custos de implantação e manutenção do sistema.

Então, para ajudar o produtor a entender como escolher seu aspersor, selecionamos 4 fatores que devem ser observados. Confira!

1 – Tipo de aspersor

Os tipos de aspersores para irrigação que você encontra no mercado diferenciam-se em vários aspectos técnicos. Por exemplo, o sistema de funcionamento (fixo ou rotativo), ângulo de ação, alcance do jato, pressão e características do bocal.

→ Você pode conferir mais detalhes sobre estes aspectos e as indicações de tipos de aspersor neste conteúdo aqui no blog da IRRIGAT.

Todas estas características, que para leigos podem parecer apenas detalhes, na verdade interferem muito nos resultados do projeto de irrigação.

Ou seja, elas determinam a vazão, a eficiência e a uniformidade de aplicação de água, qual o número e a distribuição de aspersores necessários, a produtividade e a economia de água que pode ser obtida.

2 – Tamanho da área a ser irrigada

Outro ponto que está diretamente relacionado à escolha do aspersor é o tamanho da área a ser irrigada.

Para terrenos mais extensos (acima de 10 hectares), vale a pena investir em aspersores com raio de longo alcance (maior que 25 metros), já que eles demandam menos mão de obra e trazem um custo-benefício maior.

Por outro lado, para áreas pequenas e médias (de até 10 hectares), são indicados os aspersores de porte menor (com raio de alcance de até 25 metros).

3 – Retenção de água no solo

É muito importante fazer uma análise prévia do nível de retenção de água no solo e ter este critério em mente na hora de escolher seu aspersor.

Este fator é determinado através do cálculo de porcentagem de água no solo (medido por volume ou peso da água) feito a partir de amostras analisadas em campo ou laboratórios.

Então, sabendo as características de retenção de água do solo a ser irrigado, o produtor deve ficar atento à intensidade de aplicação de água do aspersor, valor medido pela relação entre a vazão e o espaçamento.

A intensidade de água não pode ser maior que a velocidade de infiltração de água no solo, já que pode haver problemas de escoamento na área.

4 – Vento e outros fatores

As perdas causadas pelo vento e outros fatores biológicos e climáticos, como a evaporação de água, também devem ser levados em conta na hora de escolher o aspersor.

Tudo visando atender a demanda de água das plantas com o máximo aproveitamento do suprimento para garantir uma boa produtividade, observando-se as condições e as particularidades locais.

Por isso, é importante conhecer a demanda diária de evapotranspiração das culturas que estão sendo cultivadas. Além disso, também observar os melhores turnos de rega (de acordo com o tipo de cultura, o tipo de solo e o método de manejo).

Conclusão

Ajudamos você a escolher seu aspersor?

Observar a cultura, as características de área e solo e o tipo de sistema de irrigação que você vai adotar é fundamental para alcançar bons resultados e produtividade.

Acompanhe o blog da IRRIGAT para saber mais informações sobre irrigação em lavouras. Até mais!


*Fonte:

Curso de Irrigação de Pastagem / GAPPI

Escolha correta do aspersor para irrigação / Artigo na Revista Cultivar

Powered by Rock Convert