Fique sabendo tudo o que for relacionado a irrigação.

Ver mais notícias

Estresse hídrico na agricultura

Estresse hídrico na agricultura

O estresse hídrico na agricultura é um termo utilizado para caracterizar uma situação emergencial tanto na questão social quanto para agricultores. Ele demonstra a condição em que a demanda por água é maior do que a sua disponibilidade e capacidade de renovação.

O problema pode ocorrer por fatores naturais ou socioeconômicos, o risco do estresse hídrico dificulta ou até impede o desenvolvimento econômico e humano. Logo, acaba não permitindo a prática da agricultura e a industrialização. Nessa linha, confira como o estresse hídrico na agricultura pode afetar sua produção.

Tipos de estresse hídrico na agricultura

Existem dois tipos de estresse hídrico na agricultura, o moderado e o severo. As diferenças entre ambos são:

Estresse hídrico moderado

Esse tipo de estresse hídrico foi nomeado assim pois ocorre num período menor de tempo. Além disso, não atinge completamente o desenvolvimento da planta, sendo possível reverter o impacto negativo da falta de água.

Estresse hídrico severo

Nesse tipo, a escassez de água ocorre muito mais tempo, impedindo qualquer chance da planta se recuperar e assim comprometendo toda a produção.

Estresse hídrico na agricultura

Um quarto da agricultura mundial se encontra em áreas de estresse hídrico. Isso justifica o fato de 70% da água do planeta estar sendo consumida pela prática da agricultura, e assim, fazendo com que 40% da alimentação disponível seja proveniente de culturas irrigadas.

Um exemplo é a produção de trigo, onde 40% de sua produção é feito em áreas de estresse hídrico, em regiões como o centro dos Estados Unidos, sul da Europa, norte da Índia e China.

Com produções em áreas de risco de estresse hídrico, alguns métodos de irrigação se tornaram essenciais para a saúde e desenvolvimento de certas culturas agrícolas.

Como evitar o estresse hídrico em cultivos

Para evitar que o seu cultivo seja prejudicado pelo estresse hídrico na agricultura, separamos 3 dicas úteis para a situação:

Escolha espécie certa

Regiões mais quentes e secas estão mais propensas ao estresse hídrico. Por isso, invista em culturas que sejam mais resistentes a esse tipo de clima, como os toletes de cana de açúcar, que contém a temperatura de cultivo ideal entre 32 e 38°C.

Foco na irrigação

Como já citamos brevemente, os sistemas de irrigação podem ser a chave certa para quem sofre risco de estresse hídrico ao longo de suas produções. Uma irrigação feita no momento e na forma correta, melhora a absorção de nutrientes pelas raízes, evitando problemas no desenvolvimento da planta.

Atenção ao perfil do solo

No caso do cultivo em meio a um local propenso ao estresse hídrico, a melhor forma de ajudar no desenvolvimento da planta é entender as condições do solo. Um dos fatores mais importantes para prestar atenção é se o solo está apresentando compactação física por adensamento, o que não pode ocorrer.

Por isso se fala na importância de investir em micro e macronutrientes. Eles ajudam o solo a manter uma qualidade adequada para a plantação e asseguram que os nutrientes do que já está sendo cultivado não sejam perdidos. Assim, é possível garantir que as plantas se tornem mais resistentes.

Evite o estresse hídrico e otimize sua produção

Prestar atenção às condições do solo, clima e no cultivo são passos importantes para evitar que o estresse hídrico na agricultura prejudique sua produção. Além disso, investir na irrigação pode ser um diferencial para melhor a qualidade da sua plantação e evitar surpresas!

Compartilhar