fbpx

Gessagem do solo: saiba os benefícios desta prática e como aplicá-la

Técnica de gessagem do solo

A gessagem agrícola é um método até muito usado entre os produtores. Pois, além de diminuir a toxidez por alumínio nas camadas superficiais, fornece Cálcio e Enxofre para as plantas. Isso proporciona um melhor desenvolvimento do sistema radicular e consequente aumento da produtividade.

Como preparar o solo para a gessagem?

A gessagem apropriada submete-se a um bom monitoramento regular por análises de solo. Por isso, é importante coletar os dados para checagem sobre o tipo de solo, averiguar os mapas de produtividade e iniciar as operações agrícolas.

Desse modo, para estabelecer a divisão das doses em um ou mais anos, observe o valor do produto, da distribuição e do transporte, além de estar ciente do custo de produção ao certo. Assim, seu maquinário já pode estar pronto para enriquecer o solo com gesso.

Caso seja necessária a adubação fosfatada corretiva, efetue a gessagem também nesse momento. Sendo assim, o acúmulo de matéria orgânica na superfície pode reduzir o efeito da presença de Alumínio tóxico no solo, em intervalos menores e com pequenas doses (1,0 a 2,5 t/ha).

Como fazer o cálculo da quantidade de produto a ser aplicado?

A porção de gesso deve ser orçada com base na área coberta (SC) pelo corretivo. Se forem culturas perenes, 75% e em caso de culturas anuais 100%. A profundidade que o produto poderá alcançar (PF) também controla a quantidade de gesso. Baseado nessas informações, utiliza-se a fórmula abaixo:

QG (t/ha) = NG x (SC/100) x (PF/20), sendo que,

  • QG = quantidade recomendada de gesso em t/ha;
  • SC = superfície coberta pelo gesso;
  • PF = espessura que o gesso deverá atingir.

Existem diversos modelos de indicação de gesso, porém o mais aplicado é o apresentado por Souza et al (1997):

  • Para culturas perenes a NG (kg/ha) = 75 x % argila;
  • Para culturas anuais a NG (kg/ha) = 50 x % argila.

Quando aplicar?

Inicialmente, tenha o diagnóstico atual da área do solo e certifique-se das condições que apontam a necessidade de gesso:

  • Cálcio menor que 0,5 cmolc/dm3;
  • Alumínio maior que 0,5 cmolc/dm3;
  • Saturação por alumínio maior que 20%;
  • Saturação por bases (V%) menor que 35%.

Há diversas formas de calcular a necessidade de gesso, mas a mais comum é descrita das características abaixo!

  • Argila entre 0 a 15% necessita de gesso (t/ha) 0,0 a 0,4;
  • Argila entre 16 a 35% necessita de gesso (t/ha) 0,5 a 0,8;
  • Argila entre 36 a 60% necessita de gesso (t/ha) 0,9 a 1,2;
  • Argila entre 61 a 100% necessita de gesso (t/ha) 1,3 a 1,6.

Quais são os benefícios?

Neste tópico, veremos quais as vantagens de contar com essa estratégia agrícola em seu solo.

Fornece cálcio e enxofre para a nutrição das plantas

As plantas estão cada vez mais sofrendo de deficiências de enxofre (S) e o solo não está fornecendo enxofre suficiente. Por isso, o gesso é uma excelente fonte destes “faltosos” que servem para nutrir as plantas e melhorar o rendimento das colheitas.

Regula solos ácidos e serve para tratar a toxicidade do alumínio

Uma das grandes vantagens do gesso é a capacidade de reduzir a toxicidade do alumínio, que costuma acompanhar a acidez do solo e, principalmente, do subsolo. Assim, o gesso pode melhorar alguns solos ácidos ainda mais do que o calcário, promovendo raízes mais profundas que trazem grandes benefícios às lavouras.

Melhora a estrutura do solo

Em solos com proporções desfavoráveis ​​de cálcio-magnésio, o gesso pode melhorar a proporção. Adicionar cálcio solúvel pode superar os efeitos de dispersão dos íons magnésio e sódio, bem como promover a floculação e o desenvolvimento da estrutura em solos dispersos.

Favorece a infiltração de água

O gesso também aumenta a capacidade de drenagem do solo, evitando que fique alagado devido à combinação de alto teor de sódio, argila expansiva e excesso de água. Por essa razão, é importante a aplicação de gesso no solo para permitir que a água penetre e que a colheita se desenvolva bem.

Ajuda a reduzir o escoamento e a erosão

Os especialistas explicam como o gesso ajuda a manter o fósforo e outros nutrientes nos campos de cultivo. O gesso deve ser considerado nas melhores práticas de manejo para reduzir as perdas de P solúvel. Isso faz com que haja uma redução considerável de escoamento e erosão.

Em suma, a gessagem pode promover bons resultados, mas o excesso de gesso também pode depauperar os nutrientes das camadas mais superficiais do solo. Desse modo, a aplicação deve ser realizada a partir de uma análise de solo de maneira adequada com as instruções de um profissional da área.

Gostou do artigo? Então aproveite para conhecer também: “Sistema de plantio: como escolher o mais eficaz“.

Powered by Rock Convert