fbpx

Descubra agora tudo sobre irrigação de soja

Irrigação de soja

O uso da irrigação de soja é influenciado pelas condições climáticas, estágio de crescimento da cultura e vários outros fatores. As taxas de uso de água pela cultura atingem o pico durante as fases reprodutivas intermediárias.

Assim, quando a soja não recebe água suficiente para atender às demandas de evapotranspiração durante os estágios de crescimento reprodutivo, reduções significativas podem ocorrer.

Por isso, é importante compreender como o uso da água ajuda a cultura ao longo da estação e outras características da irrigação para soja. Saiba mais durante o desenvolvimento do artigo!

Os melhores sistemas de irrigação de soja

Para que sua cultura possa se desenvolver bem e dar um bom resultado na safra, antes é preciso escolher uma forma de irrigação mais indicada para soja. Então, veja abaixo!

Carretel Autopropelido

Também conhecida como irrigação por carretel, é um sistema muito bom para a cultura da soja, principalmente para produtores de pequeno e médio porte. Isso porque é um equipamento que não demanda grandes obras para instalação, promovendo a área livre e lavoura totalmente livre de tubulações.

O sistema autopropelido por carretel possui a opção de fertirrigação, onde é possível misturar água com dejetos de animais para promover a adubação junto à irrigação.

Gotejamento

Uma das alternativas de irrigação disponível no mercado nacional é a técnica de gotejamento. Nela, são instalados tubos no solo e a tecnologia insere água diretamente na raiz da planta. Com ele também é possível realizar a fertirrigação, isto é, é viável aplicar porções de fertilizante imediatamente na raiz da planta.

Pivô central

Os sistemas de pivô central têm uma série de estruturas de metal (em rodas giratórias) que seguram o tubo de água nos campos.

Os motores elétricos movem cada quadro em um grande círculo ao redor do campo (o tubo é fixado na fonte de água no centro do círculo), esguichando água. A profundidade da água aplicada é determinada pela taxa de deslocamento do sistema.

Principais características hídricas

Agora falaremos um pouco dos estágios que estão relacionados diretamente com as características hídricas de cada fase do crescimento da soja.

Estágios de emergência e vegetativos

As demandas de irrigação de soja são relativamente baixas durante o estágio de muda e aumentam significativamente durante o rápido crescimento vegetativo. A menos que o solo seja extremamente seco, a irrigação suplementar não é recomendada durante os estágios de germinação ou crescimento vegetativo.

Muita água no início da estação pode prolongar o estágio de crescimento vegetativo, o que pode resultar em atrasos na floração, aumento da altura da planta e acamamento. Limitar a irrigação neste estágio incentiva as plantas a desenvolver sistemas de raízes mais fortes e saudáveis ​​que crescem mais profundamente.

Por isso, os agricultores devem confiar na umidade do solo armazenada e na precipitação natural tanto quanto possível durante os estágios iniciais de crescimento.

Estágios reprodutivos até a maturidade

A soja precisa de mais água durante os estágios reprodutivos, cerca de 65% do uso de água ocorre de flor inicial até a maturidade. A soja é mais sensível ao estresse hídrico durante os estágios reprodutivos intermediários e finais: desenvolvimento da vagem e enchimento de sementes.

O estresse hídrico durante o desenvolvimento da vagem e enchimento precoce das sementes pode impactar no potencial de rendimento e resultar em um número reduzido de sementes por vagem e tamanho reduzido das sementes.

Ela pode ser necessária durante a floração se as condições forem excepcionalmente secas ou em solos com capacidade insuficiente de retenção de água. Nesse momento, é especialmente importante fornecer água adequada durante o enchimento das sementes.

Isso ocorre porque a irrigação durante a floração geralmente aumenta o número de sementes produzidas, mas o estresse hídrico subsequente durante o enchimento das sementes reduzirá o tamanho da semente.

Assim, a soja requer água adequada ao longo dos estágios reprodutivos  para que as sementes atinjam seu peso máximo. Descontinuar a irrigação cedo demais pode resultar em penalidades de rendimento se o teor de água do solo não for suficiente para levar a safra até a maturidade fisiológica sem induzir estresse.

Por fim, é importante planejar com antecedência, conhecendo a capacidade do sistema de irrigação de soja para garantir que a água adequada esteja disponível para a cultura até a maturidade.

Gostou do conteúdo? Aproveite para entrar em contato conosco e tire todas suas dúvidas!