fbpx

Irrigação: cenário brasileiro, sistemas mais usados na agricultura e relações de custo-benefício

Sistema de Irrigação funcionando no campo

Hoje vamos falar sobre o cenário geral da irrigação no Brasil para você entender como estamos crescendo quanto a esse recurso na agricultura e como ele é importante para a produção. Você também verá informações úteis para ajudá-lo a escolher o seu sistema e qual a melhor época para implementá-lo, entre outras informações complementares.

O que você vai encontrar nesse post:

  • Irrigação na agricultura brasileira
  • Motivos e benefícios da irrigação
  • Os sistemas de irrigação
  • Melhor época para implementar um sistema de irrigação
  • Ponto de captação e qualidade da água

Irrigação na agricultura brasileira

A irrigação na agricultura é um tema bastante discutido, pois a cada ano que passa, mais agricultores e até criadores adotam um sistema de irrigação para seus cultivos.

Segundo a ANA (Agência Nacional de Águas), 70% de toda água retirada dos mananciais (fontes de água) é usada para abastecer as demandas da agricultura irrigada. Um dos últimos estudos publicados pela ANA em 2017 mostra o crescimento acelerado da irrigação por Pivô Central no país, o modelo mais adotado por produtores de grande porte.

Gráfico do monitoramento da agricultura irrigada por pivôs Centrais no Brasil
ANA GOV

Em 2016, a ANA também publicou o gráfico de crescimento da irrigação na agricultura em cada estado do Brasil, que também dá uma boa noção do ritmo em que os produtores estão aderindo a essa prática.

Gráfico de crescimento da irrigação na agricultura
ANA GOV

Esse é o tamanho da importância que a irrigação representa a para agricultura. Os adeptos não param de crescer, um claro sinal de que os sistemas de irrigação mais usados no Brasil estão trazendo resultados excelentes para a produção e lucro das propriedades.

As técnicas de irrigação mais usadas no Brasil, atualmente, são:

  • Irrigação localizada
  • Irrigação por aspersão
  • Fertirrigação por aspersão
  • Irrigação superficial

Cada um desses modelos possui subsistemas, sendo que a irrigação por aspersão é a que possui mais tipos de sistema para diferentes necessidades dos cultivos e dos produtos (tópicos que veremos mais para à frente).

Motivos e benefícios da irrigação

A irregularidade das chuvas e os períodos de seca/estiagem são os principais motivos para implementar um sistema de irrigação.

Todos os benefícios da irrigação estão ligados à resolução desses problemas e os resultados positivos que isso traz para os produtores e para o mercado agrícola como um todo:

  • Aumento da produtividade de 2 a 3 vezes comparada à agricultura sequeira;
  • Aumento da diversidade de cultivos;
  • Facilita a adoção de novas práticas de plantio, como a rotação de culturas;
  • Melhora a oferta de alimentos e competitividade do mercado;
  • Regulariza a distribuição de produtos agrícolas em todas as regiões;
  • Promove a agricultura em regiões de clima árido e semi-árido;
  • Abre oportunidades para novos negócios, como mercados e feiras, e também possibilidades de negócio com o comércio exterior;
  • Aumenta o número de vagas de emprego no campo.

Os sistemas de irrigação

Irrigação superficial

A água acumulada em um ponto de infiltração é distribuída em várias canaletas que são cavadas na superfície do solo. Esse método de irrigação é mais usado no Sul do Brasil e principalmente em plantações de arroz.

Irrigação superficial
FlexQuest

Irrigação por aspersão

A irrigação por aspersão é feita através de um aspersor que impulsiona uma grande quantidade de gotículas de água no ar, como se fosse a simulação da chuva. Esse sistema se divide em três tipos:

Aspersão convencional

Podem ser fixos, móveis ou portáteis. No sistema fixo, a tubulação é enterrada e não pode ser movida. Já no móvel, somente as linhas principais são fixas, já as laterais podem ser movidas. E no sistema portátil, todas as tubulações podem ser realocadas.

Autopropelido

O sistema de irrigação autopropelido é composto por uma mangueira, um carretel, um carrinho aspersor, uma motobomba e tubulações.

sistema de irrigação autopropelido
IRRIGAT

Quando o carretel começa a recolher a mangueira, o carrinho com o aspersor é puxado e a irrigação em linha é feita. É um sistema totalmente móvel e sem tubulações na área de cultivo.

sistema de irrigação autopropelido em funcionamento
IRRIGAT

Pivô central

Irrigação feita em uma área circular, onde um pivô fixado no meio e uma estrutura com vários aspersores giram em torno da área, derramando as gotículas.

Irrigação Pivô central
Twitter

Irrigação localizada

Nesse sistema, ao invés de aspersores, são utilizados emissores na área em que estão localizadas as raízes de cada planta. A irrigação localizada é feita em faixas de tubulações, compostas por vários desses emissores.

A diferença entre esses emissores é o que divide a irrigação, localizada em dois tipos:

Gotejamento

O gotejamento é feito na superfície do solo. Ou seja, as plantas não ficam totalmente molhadas como nos outros sistemas de irrigação, apenas a área do solo em que está bem próxima à raiz.

Gotejamento
Encripted

Microaspersão

Apesar do nome, a microaspersão também usa emissores. O emissor é fixado em uma pequena haste e espalha as gotículas de água ao seu redor. Vários deles são colocados ao longo de uma linha.

Microaspersão
USP

Melhor época para implementar um sistema de irrigação

O maior erro de muitos agricultores é perder o timing para implementar a irrigação em seus cultivos. O ponto principal é que implantar um sistema depois que já aconteceram perdas na plantação não é tão efetivo quanto colocar a irrigação e garantir que nada seja perdido.

Por isso, é essencial que o produtor se planeje para já ter o sistema de irrigação no início do próximo plantio. Assim, qualquer estiagem ou irregularidade de chuva que possa ocorrer não irá comprometer a produtividade.

Relação de custo-benefício e investimento inicial

Cada sistema de irrigação demanda um investimento diferente para a implementação. Por exemplo, o pivô central é o que necessita de um valor mais alto entre todos, pois a estrutura é bem complexa e a área também precisa ser adaptada para esse sistema.

Por outro lado, a irrigação de baixo custo para implementação é a autopropelida (quando comparada com as demais), sendo o sistema mais indicado para pequenos e médios produtores.

Qualquer um dos investimentos em irrigação se paga ao longo do tempo, ao garantir produtividade o ano todo e reduzir os riscos de perda por depender de chuvas.

A automatização ou semi-automatização (caso do carretel irrigador) do sistema também influencia na redução de custos de mão de obra. As pessoas que antes ficariam envolvidas nessas tarefas agora podem se dedicar a outras áreas e atividades.

Ponto de captação e qualidade da água

Os pontos de captação de água para irrigação podem ser açudes, lagos, rios e até poços artesianos. Geralmente, a empresa que faz o sistema de irrigação e implementação dele já dá a orientação necessária sobre isso, validando se o ponto pode ser usado ou não.

Também é feita uma análise da propriedade para medir tubulações, estruturas e mapear desníveis de terreno.

Quanto à qualidade da água, o ideal é ter instrumentos de medição de Ph e demais parâmetros para garantir que nada esteja fora do esperado. Pontos de captação com muita concentração de sólidos e sedimentos não são indicados para irrigação localizada.

Próximos passos para implementar a irrigação

Avalie o tamanho da área que deve ser irrigada e quais os cultivos da sua propriedade. Depois, relacione essas informações com as que trouxemos aqui para saber o sistema de irrigação ideal para você.

Para pequenos e médios produtores, peça um orçamento para o carretel de irrigação (sistema autopropelido). Comece sua escolha tendo uma base de preço e de como funciona o processo de avaliação e instalação!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *