Fique sabendo tudo o que for relacionado a irrigação.

Ver mais notícias

Você sabe as diferenças entre os sistemas de irrigação por aspersão?

Você sabe as diferenças entre os sistemas de irrigação por aspersão?

A aspersão, nos seus diferentes sistemas, como o carretel, a convencional e o pivô central, compreende o maior percentual da área irrigada do Brasil. Esse método tem a preferência de empresários agrícolas e produtores que utilizam bons níveis de tecnologia. Por isso vamos entender melhor como esse tipo de irrigação funciona!

O método de aspersão é composto, normalmente, por um conjunto motobomba, tubulações, aspersores e acessórios.

O sistema de aspersão convencional é considerado o sistema básico de irrigação por aspersão. Utiliza tubos em toda a área com a troca de aspersores de forma manual. Ou seja, após a primeira rega, o produtor deve entrar na área molhada, retirar o aspersor e colocá-lo na próxima área a ser irrigada. Apesar de ser um sistema barato, torna-se muito trabalhoso no dia a dia e por este motivo é considerado ultrapassado.

Um sistema de aspersão convencional recentemente empregado no Brasil é o sistema de aspersão em malha. Esse sistema é fixo, com tubulações enterradas. Um único aspersor se movimenta na linha lateral, de diâmetro reduzido, exigindo assim conjunto motobomba de baixa potência. Esse sistema normalmente é automático e por isso exige um investimento bastante elevado. Pode ser considerado útil para áreas que não precisem ficar livres para o plantio e colheita, pois inviabiliza o trânsito de maquinário na área. Além disso, exige um projeto técnico bem detalhado e bem dimensionado, porque erros de projeto podem acarretar manutenção elevada em vazamentos de tubos enterrados ou até mesmo na troca de aspersores.

O sistema de carretel autopropelido é movimentado por energia hidráulica (turbina ou pistão) e possui um único aspersor do tipo canhão, montado em uma plataforma, e uma mangueira de alta pressão cujos tamanhos podem variar. Modelos menores são ideais para áreas de até 10 hectares, pois consomem menos energia do que os modelos maiores e tem manejo mais fácil.

As vantagens do carretel em relação à aspersão convencional são: 1- irrigar deixando a área livre para as máquinas trabalharem; 2- possibilidade de irrigar mais de uma área ou expandir a área irrigada com o mesmo equipamento; 3- ideal para áreas quadradas ou retangulares, pois por irrigar em faixas retangulares consegue ser implantado com um investimento inicial muito menor; 4- Facilidade de implantação e manutenção, pois normalmente é composto de uma única linha mestra de tubos, o que facilita o dimensionamento do projeto e gera menos possibilidade de vazamentos.

O sistema pivô central é um sistema de movimentação circular, movido a energia elétrica ou diesel. Possui uma linha lateral de aspersores suspensa por torres dotadas de rodas. As torres se movimentam independentemente por possuírem motores individuais. Ideal para grandes áreas, pelo seu custo de implantação.

A aspersão é um método que possibilita o bom controle da lâmina de água aplicada. De modo geral, a eficiência do método é ao redor de 70%, podendo alcançar 90% em alguns sistemas ou até 50% em condições severas de clima.

Com este post você pôde entender as diferenças entre os sistemas de irrigação por aspersão. Continue lendo e Saiba o que você deve avaliar na hora de comprar irrigação

 

Compartilhar